FANDOM


Tohru Honda é a principal protagonista de Fruits Basket. Ela é a única filha dos falecidos Katsuya e Kyoko Honda.

Ela é uma estudante da Kaibara Municipal High School e, para pagar seus próprios gastos e evitar ser um fardo para seus parentes, tem um emprego de meio-período depois da escola como faxineira. 

Ela é retratada como uma pessoa educada, otimista, independente, extremamente gentil e altruísta, com uma personalidade estimulante.

Após a morte de sua mãe, que a deixou órfã, Tohru começa a viver na residência de Shigure, com ele, Yuki e Kyo. Mais tarde, ela descobre sobre a maldição da família sohma e decide quebrá-la para livrar os treze amaldiçoados do sofrimento.

Em Fruits Basket Another , ela é casada com Kyo e mãe de três filhos. Hajime Sohma, seu filho mais velho, é um dos protagonistas da nova série.

Aparência Editar

Tohru é uma garota magra, de pele clara e estatura média e é considerada muito fofa. Ela tem cabelos castanhos e lisos na altura da cintura e uma franja na altura das sobrancelhas que emoldura seus olhos redondos e castanhos. Geralmente usa laços rosas, amarelos, azuis ou roxos para prender seu cabelo. 

Ela normalmente usa o uniforme feminino padrão da Kaibara Municipal High School, que consiste numa saia azul e uma blusa no estilo marinheiro, que varia entre branco e azul.

Tohru veste roupas simples e práticas quando ela não está de uniforme. No trabalho, usa uma camisa e calça azul clara, luvas brancas e uma bandana no cabelo.

Personalidade Editar

Tohru é uma garota extremamente bondosa, gentil, otimista, honesta e alegre, que vê o bem em todos que conhece e está disposta a ajudá-los independente do que seja. Ela não guarda rancor por aqueles que a prejudicam, especialmente no que diz respeito a Akito.

Apesar de perder o pai numa idade muito jovem, a mãe na adolescência e até ter que morar no meio do mato numa barraca por um tempo, ela sempre manteve um sorriso no rosto, permanece trabalhadora, dedicada, independente e positiva. Por outro lado, ela é considerada muito inocente e ingênua e tenta ser agradável o tempo todo, sem nunca reclamar, mesmo que os outros a tratem mal. 

Ela tem problema em se defender, mas à medida que a série avança, Tohru observa que pode ser bastante teimosa para fazer a coisa certa e nunca concorda com algo que considere errado.[1] Ela também é muito protetora com seus amigos e familiares e não tem problemas em defendê-los, apesar de seus medos.[2]

Apesar de sua personalidade desajeitada e tímida, Tohru é emocionalmente inteligente e perspicaz quando se trata dos sentimentos das pessoas. A maioria dos conselhos que Tohru dá aos outros vem de conversas que teve com sua mãe.

De acordo com Yuki, Tohru é uma garota que está disposta a dar tudo o que pode, sem esperar nada em troca e sempre diz as coisas que mais quer ouvir. Por isso, Yuki, assim como Rin, até certo ponto, vê nela uma "figura materna"[3], enquanto Kisa vê nela uma figura do tipo "irmã mais velha". 

Entretanto, a bondade de Tohru e a tendência de colocar as necessidades dos outros antes das suas próprias fizeram com que ela se negligencie. Em parte porque ela quer cuidar de seus amigos, mas, na verdade, é porque ela se vê como um fardo e não pode enfrentar seu próprio trauma. 

Por trás de sua personalidade alegre, ela tem sérios problemas de auto-estima e uma incapacidade de superar a morte de sua mãe. Tohru quase nunca fala sobre sua mãe no passado e seu apego excessivo a foto dela mostra que ela ainda não conseguiu lidar com sua morte.

A característica mais notável de Tohru é como ela sempre fala muito educadamente, o que ela orgulhosamente admite ter herdado do pai. Porém, ela usa incorretamente para pessoas próximas ou em situações em que é desnecessário. 

No entanto, é revelado mais tarde que Tohru apenas imitou os padrões de fala e traços de personalidade de seu pai, Katsuya, na esperança de impedir sua mãe de deixá-la e devido às declarações da família de seu pai.[4] Ela também tem um profundo medo de ser abandonada, pois isso a lembra do tempo que Kyoko a deixou sozinha em casa para tentar suicidar-se após a morte de Katsuya.

Com o passar do tempo, Honda fica mais confiante para contar às pessoas seus pensamentos e a certa altura ela até mostra todos os seus "maus traços" para Kyo, como confessar que secretamente se ressentiu com seu pai por quase "levar" sua mãe para longe dela.

Tohru depois revela que quer libertar especificamente Kyo da maldição, já que ele se tornou a pessoa mais importante para ela. Embora ela se sinta culpada por temer que esteja degradando a memória de sua mãe, colocando uma nova pessoa em seu coração.

No final, Tohru evoluiu muito e tornou-se alguém mais confiante e determinada, mas ainda continua sendo a garota de bom coração, otimista e alegre que sempre foi.

História Editar

Tohru nasceu da união de Kyoko e Katsuya Honda no ano do cão. Ela viveu uma vida muito pacífica com os pais e foi muito amada por ambos. Ocasionalmente, a família visitava o pai de Katsuya, que era o único que não se opunha ao casamento dele e Kyoko. 

Quando ela tinha três anos, Katsuya e Kyoko pensaram em dar a Tohru um irmão mais novo. No entanto, Katsuya logo morreu de pneumonia enquanto viajava a negócios.[5] Durante o funeral, os parentes de Katsuya acusaram Tohru de ser filha de um caso, porque achavam que ela não se parecia com ele e por causa do passado de Kyoko como delinqüente e adolescente rebelde.

Tohru ouviu tudo isso, o que tornou mais difícil para ela se lembrar do pai com carinho. Logo depois, sua mãe entrou em uma profunda depressão, a ponto de negligencia-la. Kyoko estava convencida de que Katsuya estava esperando por ela no mar, então foi até lá com o pensamento de cometer suicídio para se reunir com seu amado. 

Enquanto Kyoko viajava, o avô de Tohru foi o único que cuidou da garota. Tohru, desanimada pelo abandono de sua mãe, convenceu-se de que a única maneira de fazer ela voltar era se tornar como seu pai. Assim, enquanto sua mãe estava fora, Tohru tentou se lembrar o máximo que podia de Katsuya.[4]

Kyoko superou sua depressão quando percebeu que sua filha ainda precisava dela. Quando chegou em casa, Tohru a recebeu com um sorriso, da mesma forma que Katsuya costumava recebê-la. Kyoko caiu em prantos e puxou Tohru para um abraço, pedindo desculpas a ela repetidamente. Após este evento, Kyoko viveu com o pensamento de criar Tohru bem e nunca mais abandoná-la. 

Elas eram extremamente próximas e passavam muito tempo juntas. Kyoko moldou grande parte do caráter de Tohru pela sabedoria que ela compartilhava com ela. Tohru gostava muito das histórias de ninar que sua mãe costumava contar, principalmente a do zodíaco chinês. Quando ela ouviu falar sobre como o gato era o único enganado na história e não foi capaz de participar do banquete, sentiu pena do gato a tal ponto que desejava poder nascer no ano do gato em vez do cão.[6]

Além de sua vida em casa com a mãe, Tohru era frequentemente vítima de bullying na escola. As crianças jogavam um jogo chamado "Cesta de Frutas" e seus colegas a humilhavam durante o jogo, designando-a como uma bola de arroz em vez de uma fruta e nunca a chamando durante o jogo. Por causa disso, Tohru começou a sentir-se regularmente sozinha.

Ela também tinha vergonha do fato de estar sofrendo bullying e não pôde confiar na mãe até mais tarde. No entanto, Tohru continuava positiva, esperando que alguém chamasse o bolinho de arroz para que ela pudesse jogar também.[7]

Primeiro encontro com Yuki Sohma Editar

Um dia, quando mais nova, Tohru se separou da mãe e se perdeu na vizinhança. Ela estava com muito medo, escondida em uma esquina e chorou por ajuda. Ela foi encontrada por Yuki, e, ao vê-lo, ela começou a correr atrás dele na esperança de ser salva e se reunir com sua mãe. Yuki evitou ser abraçado por ela e seguramente levou-a para sua mãe. 

Quando terminou de guiá-la, Yuki deu-lhe um chapéu, então desapareceu, pois se transformou em sua forma de rato.[8]

Embora ela não soubesse a identidade do garoto que a ajudou, Tohru preza a memória e mantém o chapéu como lembrança. Ela menciona que o garoto que ajudou-a quando estava vulnerável e triste é seu primeiro amor, mesmo que não estivesse ciente disso na época.

Fazendo amizade com Arisa Uotani Editar

Durante os anos do ensino fundamental, Tohru se tornou ainda mais independente e cuidou da maior parte das tarefas domésticas enquanto sua mãe trabalhava. Kyoko também expressou seu desejo de Tohru frequentar o ensino médio, experimentar a vida como uma colegial e se formar, pois foi algo que nunca foi capaz de fazer.

Apesar de sua personalidade amigável, Tohru passava o tempo sozinha na escola. Quando conheceu Arisa Uotani pela primeira vez em seu primeiro ano, Arisa era membro de uma violenta gangue de rua e seu ídolo era a Kyoko, conhecida como Borboleta Carmesim.

Ao descobrir sobre a adoração de Arisa em relação a sua mãe, Tohru a convidou para ir a sua casa, embora Arisa estivesse desiludida por Kyoko ter se tornado uma mãe coruja. É na casa delas que Tohru chamou Arisa de "Uo-chan" depois que Kyoko sugeriu. O amor demonstrado entre Tohru e Kyoko leva Arisa a se lembrar da negligência de seu pai solteiro, irritando-a.[9]

Apesar da personalidade difícil de Arisa, Tohru continuou a procurá-la e até a salvou de ser espancada por seus companheiros de gangue e a levou de volta para sua casa. 

Abraçando gradualmente o ambiente amoroso que ela nunca teve, Arisa passaria mais tempo com Tohru e Kyoko. Apesar das dúvidas dos colegas, Tohru abraçou sua amizade com a delinquente. 

Arisa logo deixou sua gangue com a ajuda de Kyoko e declarou querer se tornar a melhor amiga de Tohru para a mesma. A partir daí, Arisa e Tohru se tornaram muito próximas, as duas foram consideradas uma dupla estranha pelos seus colegas.[10]

Fazendo amizade com Saki Hanajima Editar

Quando Tohru chegou à 8ª série, Saki Hanajima se transferiu para a turma. Enquanto a maioria da turma ignorava Saki, Tohru alegremente tentou fazer amizade com ela.

Tohru e Arisa mais tarde convidaram Saki para se sentar com elas e apesar das dúvidas de Saki, porque ela era "estranha", as duas meninas explicaram que elas também eram consideradas do mesmo jeito. As três começaram a passar muito tempo juntas e Saki recebeu o apelido de "Hana-chan" pelas duas meninas.

Mesmo depois de descobrir que Saki tinha o poder das ondas elétricas, Tohru confessou a Saki que ainda a amava e queria continuar sendo amiga dela. Ela também consolou Saki para a mesma não se distanciar. Como resultado, Saki se tornou amiga de Tohru e Arisa.[11]

As três garotas encontraram força uma na outra e se tornaram melhores amigas inseparáveis.

A morte de Kyoko Editar

Tohru se matriculou na Escola Municipal Kaibara juntamente com Saki e Arisa. Após o primeiro dia do ensino médio, os três fizeram uma festa na casa de Tohru enquanto Kyoko estava lá para comemorar com elas.

A tragédia ocorreu quando Kyoko foi atingida e morta em um acidente de carro. Quando Tohru correu para vê-la no hospital, ela já havia falecido, Tohru ficou completamente abalada. 

Naquela mesma manhã, Tohru dormiu demais e não viu a mãe sair para o trabalho. Isso deixou Tohru extremamente arrependida, pois ela sempre dizia à mãe: "Tchau, volte em segurança!" todas as manhãs antes de partir nos últimos anos. 

Por esse motivo, Tohru se culpa parcialmente pela morte de sua mãe, já que ela não conseguiu vê-la sair naquela manhã. Ao mesmo tempo, Tohru priorizava o ensino médio para honrar o desejo de sua mãe

Depois de se tornar órfã, os parentes de Tohru começaram a discutir sobre quem cuidaria dela. Foi decidido que o avô dela a aceitaria. Ele vivia apenas com sua pensão, então Tohru ansiava por trabalho para que pudesse pagar suas próprias despesas e diminuir o fardo para o avô. 

Durante esse período, o avô de Tohru começou a chamar Tohru por "Kyoko". Todos descreviam isso como resultado de sua idade, mas mais tarde ele admite que começou a fazê-lo porque depois do funeral de Kyoko, parecia que Tohru iria desmoronar se não houvesse algum lembrete de vez em quando que Kyoko já esteve viva e que outras pessoas pensam nela também.

Enquanto Tohru ainda estava de luto por sua mãe, ela foi visitada por Komaki Nakao. Seu pai era o motorista do caminhão que atingiu e matou Kyoko e o acidente o matou instantaneamente também. 

Enquanto Komaki entrou em sua casa junto com o avô de Tohru para oferecer respeito, o namorado de Komaki, Kakeru Manabe, confrontou Tohru. Ele disse a ela que ela era nojenta por aparentemente achar que era a única que merecia simpatia, sem prestar atenção nas outras vítimas da situação. Isso chocou Tohru bastante e ela aparentemente reprimiu essa memória.

Quatro meses antes do início da série, o avô de Tohru revelou que a família de sua filha se mudaria para sua casa, mas que a casa precisava ser reformada primeiro. Ele explicou que iria morar temporariamente com a família de sua filha durante a construção e perguntou a Tohru se ela tinha um lugar. Por não querer que o seu avô se preocupasse, Tohru respondeu que sim. 

No entanto, Tohru não queria incomodar ninguém e nem teve coragem de perguntar a Arisa ou a Saki se ela poderia ficar com uma delas, então ela finalmente decidiu se mudar secretamente para uma tenda na floresta, onde, mais tarde, descobriria que era um local da propriedade dos Sohma.[6]

Referências Editar

  1. Fruits Basket, capítulo 135
  2. Fruits Basket, capítulo 20
  3. Fruits Basket, capítulo 86
  4. 4,0 4,1 Fruits Basket, capítulo 93
  5. Fruits Basket, capítulo 92
  6. 6,0 6,1 Fruits Basket, capítulo 01
  7. Fruits Basket, capítulo 06
  8. Fruits Basket, capítulo 85
  9. Fruits Basket, capítulo 39
  10. Fruits Basket, capítulo 40
  11. Fruits Basket, capítulo 51
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.